Planejamento imigração

Os DEZ mandamentos para imigrar para o Canadá, ou qualquer país do mundo


Imigrar não é para qualquer um. Posso repetir? Imigrar não é para qualquer um. Tem gente que diz que quer, mas na hora do vamovê… acaba peidando na tanga. Tem gente que pensa que é só juntar os papéis, comprar a passagem e ir embora. Vida loka. Tolinhos. Pode dar certo? Pode. Mas, sabe como é a vida, né? Então, respire, inspire e dá uma olhada nos dez mandamentos para uma imigração menos tensa.

Bula: para alguns pode ser bem menos que isso, para outros talvez sejam necessários uns 50 itens. Tem gente que manja muito mais coisa do que isto, tem umas outras que não sabem nem por onde começar. Fato: de alguma coisa vai servir esta lista. Post-it #vambora.

Planejarás, planejarás e planejarás

Planejar é tudo. Planeje, planeje, planeje. Você já está planejando há quantos anos? Cara, tudo pode acontecer nesta nossa vida. Todas as variáveis possíveis e imagináveis devem ser levadas em conta. Inclusive, a da falha do seu planejamento. Não tenha pressa. Não se limite (no planejamento). Não seja inflexível. Não fique só planejando, execute também. Estabeleça prazos, limites e concessões.

Buscarás um acordo mútuo – no caso de casais e famílias

Quem quer imigrar, aí? Alguns casos são mais complicados que outros. Quando falamos de casais, com ou sem filhos, o papo é longo. Às vezes, um quer ir de qualquer jeito e o outro não viaja nem na excursão da firma. Dependendo da idade dos filhos… complica também. Enfim, é importante chegar a um senso comum. Busque deixar as coisas bem claras, e ouvir sempre. De repente, fazer aquela viagem de reconhecimento (em família), antes de tomar qualquer decisão. Fiz um post que pode te ajudar: “Casais inteligentes imigram (ou não) juntos”.

Terás muita paciência

Paciência, mas muita paciência. Eu já falei paciência? Tenha paciência. Vai por mim, não tenha pressa. Alguns processos de imigração levam anos. Repito: anos. Serão meses de silêncio mortal. Nenhum sinal de fumaça. Nenhuma resposta. Tem gente que faz um planejamento pra 10 anos. E haja paciência. Ah… e mesmo chegando no país dos seus sonhos, saiba de uma coisa: lá você também terá que ter muita paciência. A adaptação não acontece da noite pro dia. Então, paciência.

Guardarás uma grana

Compre um spray, pode ser da cor preta. Dos baratinhos, tá?! Pixe na parede da sua sala: “Save Money”. Guarde sempre. Em tempos de dólar a mais de 4 bolsonaros…. guardar uma graninha é vital para sua sobrevivência, em qualquer lugar. E falando de Canadá, há uma variação enorme de custo de vida dependendo da cidade de sua escolha. Fora que nunca se sabe a hora que vai pintar aquele job bacana.

Estudarás o idioma, always

Poliglotas, por favor, saiam da sala. Fato: nunca pare de estudar o idioma do país que você quer imigrar. É inglês? Então… sei lá…. assista séries em inglês (com ou sem legendas em inglês), leia artigos em inglês, espalhes post-its pela casa, tente falar com alguém em inglês… Enfim, não dê folga para seu cérebro. Já te falaram que quanto maior a sua fluência no idioma, maiores serão suas oportunidades no país, né?

Terás cuidado com golpistas e com as fake news

Cuidado, danger, perigo… todos, eu disse todos, estão sujeitos a cair na lábia dos golpistas da imigração. Sabe aquelas notícias: “Canadá precisa de profissionais qualificados”? Então…. não é bem assim. Portanto, cuidado. Tem gente perdendo muita grana com esses ilusionistas. Fica a dica: sempre consulte os sites oficiais de imigração antes de sair assinando coisas por aí.

Aceitarás possíveis mudanças de planos

Vou te falar uma coisa: tudo pode mudar de um dia para o outro. É sério. Era pra você ter ido em 2018, mas agora só vai em 2021, ou nem vai mais. Sim, isso é possível. O plano era Canadá, mas agora é Bielorussia. As coisas mudam, as realidades mudam, você muda (pelo menos, é o que eu imagino). Inclusive, tenha em mente, até uma possível volta. Sim, você pode não gostar do país – e não há nada de mau com isso. Tudo muda. Este outro post pode te ajudar também: “O que pensam aqueles que nunca mais querem voltar para o Canadá?”.

Estarás aberto (e sem medo) à novas culturas, maneiras de pensar e trabalhar

É diferente. Canadá é Canadá e Brasil é Brasil. É outra cultura, outro jeito de trabalhar, outras comidas, outras pessoas, outros jeitos de agir e pensar. Não é porque você trabalhava com isso ou aquilo no Brasil que você vai chegar fazendo isso ou aquilo no Canadá, ou em qualquer país do mundo. Os currículos são outros, as piadas são outras, as reuniões são outras, as decisões são outras e você vai estar ali no meião, sempre aprendendo algo novo.

Terás noção de que não dá pra voltar na primeira dor de barriga

Tenha em mente que você não está fazendo uma mudança pro interior de São Paulo. Você está mudando de país. São alguns milhares e milhares de km. Não dá pra pegar o Uno Mille e vir passar o fim de semana na casa da tia Lourdinha. Aliás, o casamento da prima, talvez não role. O aniversário de 1 ano do sobrinho Enzo, também já era. Até casos mais graves podem ficar pra depois. Tenha ciência disso.

Estarás ciente de que poderás voltar de vez

Sim, você pode voltar e ninguém tem nada a ver com isso. Só você (e sua família) sabe aonde o calo pega. Talvez até seja voltar, pra sair de novo. Quem sabe? Só você sabe. Pelo menos você foi lá e viu com os próprios olhos, sentiu na pele, aprendeu com seus erros e acertos (alguma coisa você aprendeu) e tomou suas decisões (certas e erradas). Essa é a vida.

É isso, compartilhe esse post com quem você sabe que tá nessa vibe de partir por aí.

E contem comigo se precisarem de algum help.